15 de set de 2010

Biólogos da THERIS participam do Encontro Bacia do Prata: rumo à sustentabilidade do desenvolvimento

Os biólogos da THERIS, Fábio Silveira Vilella e Rafael Angrizani, participam do "Encontro Bacia do Prata: rumo à sustentabilidade do desenvolvimento” que acontece na cidade de Assunção, Paraguai, entre os dias 14 e 16 de setembro.

Organizações de Argentina, Brasil, Bolívia, Paraguai e Uruguai anunciaram que do encontro participarão representantes de mais de 40 ONGs dos cinco países da bacia, bem como organizações internacionais, especialistas e autoridades de governo. O evento contará, ainda, com o apoio oficial da Secretaria do Meio Ambiente do Paraguai (SEAM) e com a presença do Ministro Oscar Rivas.

Como bem destacaram as organizações promotoras do Encontro, o Comitê Holandês da IUCN - União Internacional para a Conservação da Natureza - através do Programa EGP (Ecosystem Grants Programme), tem apoiado a mais de 40 ONGs na Região Focal das Bacias dos rios Paraná e Paraguai, entre 2007 e este ano. Os projetos seguem temas prioritários para a região e têm conquistado importantes avanços no que se refere à melhoria das condições para a proteção dos ecossistemas e a redução da pobreza.

Entretanto, o Programa EGP chega ao fim em um momento em que a crise global afeta diretamente as doações para a conservação dos ecossistemas e da diversidade biológica e cultural, o que põe em risco a sustentabilidade dos esforços das ONGs e outras organizações da sociedade civil.

Neste contexto, o Comitê Holandês, com seu Ponto Focal para a região Paraná-Paraguai (ECOA – Ecologia e Ação) e outras organizações que se dispuseram a participar de um grupo coordenador (Fundación Proteger, Argentina; CODES e Sobrevivencia – Amigos de la Tierra Paraguay; Probioma, Bolívia; e Both ENDs, Holanda) têm promovido debates para buscar soluções e propuseram a realização deste Encontro em setembro.

Debates e Reuniões

“Nos últimos meses, muitas idéias têm sido compartilhadas, em especial nas reuniões da Rede Pantanal de ONGs e Movimentos Sociais, em Campo Grande; na reunião sobre Pesca e Sustentabilidade na Bacia do Prata, em Buenos Aires; e no encontro Diálogos Transfronteiriços da Bacia do Rio Apa, além de outros momentos oportunos”, pontuou Elías Díaz Peña, da organização Sobrevivencia - Amigos de la Tierra Paraguay.

“A partir destes diálogos, surgiu a idéia – e necessidade – de promover um Encontro, que reúna as ONGs grantees do EGP, organismos internacionais, especialistas e autoridades de governo, para pensar nas novas conjunturas sociais, econômicas e ambientais da Bacia” – ressaltou Rafaela Nicola, diretora geral da Ecoa e Ponto focal do Programa EGP para as Bacias Paraná e Paraguai.

“As novas tendências de desenvolvimento na região e seus impactos, as interrelações Norte-Sul, bem como o papel que terão as ONGs em um futuro próximo, estão também entre as temáticas que precisam ser abordadas”, destacou.

Objetivos

Entre os principais objetivos do Encontro Bacia do Prata estão a identificação de idéias boas e atrativas e a elaboração de propostas de projetos baseadas em sinergias e cooperações entre as ONGs, a sociedade e os diferentes níveis de governo. “A idéia é potencializar o trabalho feito por um importante grupo de organizações locais e nacionais, com um olhar estratégico para a região da Bacia do Prata, e com um horizonte de 4 a 5 anos” – informam as organizações promotoras do evento.

Desenvolver estratégias conjuntas para atrair e sensibilizar doadores e autoridades de governo para as questões prioritárias da Bacia, relacionadas à proteção dos ecossistemas e sua gente, e, ao mesmo tempo, dar uma maior visibilidade às idéias e iniciativas inovadoras que estão em marcha, é outro dos objetivos.

Como principais produtos, pretende-se elaborar: um documento de Visão Compartilhada sobre a Bacia do Prata, a partir das perspectivas das ONGs, especialistas e outros atores-chave, bem como da análise dos cenários sociais, econômicos e ambientais da região, além de suas relações com o âmbito global; além de um portfólio de propostas de projetos e programas que respondam às principais demandas da Bacia.

“O documento será preparado a partir de um processo coletivo, no qual se espera receber insumos dos participantes do Encontro (e durante o processo preparatório prévio), bem como de personalidades destacadas” - finalizam os organizadores.

Fonte: ECOA

Nenhum comentário:

Postar um comentário