2 de set de 2009

Lâmpadas incandescentes proibidas na Europa

União Europeia não vai mais fabricar ou importar lâmpadas incandescentes comuns. A medida é fruto de acordo firmado entre os 27 governos do bloco no ano passado para priorizar a eficiência energética e diminuir as emissões de gases causadores do efeito estufa.
Com a norma, que entrou em vigor nesta terça-feira (01/09), a UE espera alcançar uma economia de energia entre 25% e 75%. Os consumidores ainda poderão comprar as lâmpadas incandescentes até que os estoques se esgotem, mas os modelos não serão mais fabricados. O objetivo é eliminar os equipamentos em três anos.
Diversos países, como Austrália, Canadá e Filipinas já anunciaram que pretendem proibir ou restringir o comércio das lâmpadas. Nos Estados Unidos, o ex-presidente George Bush assinou uma lei que determina que medidas contra os modelos incandescentes sejam tomadas a partir de 2012.

Fonte: Jornal da Energia

Comentário do blog: a medida é interessante, as lâmpadas fluorescentes são realmente mais econômicas, mas têm grandes problemas de descarte. Se isso não for previsto apenas está sendo trocado um problema por outro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário